Cidades de Portugal: roteiros a partir do Porto

Portugal

Maio 9, 2018
sara riobom blogger portoalities

Escrito pela Sara Riobom

Escrito pela Sara Riobom

sara riobom blogger portoalities

Sempre que arranjo tempo, na minha caótica vida de blogger, aproveito para viajar com os meus amigos. Tento, pelo menos uma vez por mês, visitar algum lugar que ainda não conheça e que esteja relativamente perto do Porto, a minha cidade natal.

E, quanto mais viajo por esse mundo fora, mais apreço ganho por este cantinho à beira mar plantado, e por isso é com genuíno prazer que escrevo esta lista das melhores cidades de Portugal, bem como vilas e aldeias maravilhosas, a uma curta distância do Porto.

O meu critério para fazer esta lista foi a distância ao Porto (<2h) e os interesses de cada lugar em particular. Espero que esta lista vos ajude no planeamento da vossa viagem para Portugal. Qualquer dúvida que tenham, escrevam na secção dos comentários, que eu respondo sempre 🙂

As mais bonitas cidades de Portugal, a curta distância do Porto, são:

Guimarães (1h do Porto)


Guimarães, que já foi considerada a Capital Europeia da Cultura, é uma das mais charmosas cidades de Portugal (talvez até mais do que o Porto, mas eu vou negar alguma vez ter escrito isto :P).

O que me atrai particularmente em Guimarães é o seu centro histórico amorosamente cuidado, as suas pracinhas alegres e ruidosas, as suas ruas medievais onde somos transportados no tempo. É sempre com imenso prazer que guio os meus leitores em passeios privados que incluem Guimarães e Braga, num passeio de bate e volta a partir do Porto.

Em Guimarães é obrigatório visitar os monumentos da Sagrada Colina – o castelo de Guimarães, a Igreja de São Miguel e o Paço dos Duques de Bragança. Se for particularmente devoto da religião católica sugiro também uma visita à Igreja de Nossa Senhora da Consolação e Santos Passos e  à Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, por serem templos particularmente bonitos.

Se, no entanto, preferir optar por dar apenas uma volta no centro da cidade, recomendo as seguintes artérias: a belíssima Rua de Santa Maria, com as suas tentadoras lojinhas; o Largo da Oliveira e a Praça de São Tiago, ideais para tomar um café numa esplanada; o monumental Largo do Toural, de onde pode admirar as belas clarabóias de Guimarães.

Se, como eu, for particularmente adepto de actividades ao ar livre, apanhe o teleférico até ao Monte da Penha (o bilhete custa 5€, ida e volta), um plateau natural com árvores verdejantes e grutas recônditas. No Monte da Penha existem imensas mesas de picnic, pelo que faça como eu: leve um farnel de queijinhos, enchidos tradicionais e um bom vinho verde e aproveite a tarde com os seus amigos!

Quando estiver em Guimarães: não deixe de provar as tortas de Guimarães na Casa Costinhas, a casa onde nasceu este doce conventual típico desta cidade de Portugal.

Onde ficar em Guimarães: eu gostei particularmente de ficar alojada na Casa do Juncal e no Vale de S. Torcato Houses and Wine Bar. Para apartamentos sugiro o Posh Residences. Um bom B&B é o Guimarães Historic Sweet Home e em termos de albergues ficam bem servidos com o Bergui Hostel.

Braga (1h do Porto)


Uma das maiores cidades de Portugal é Braga. Confesso, que no meu caso, que foi um amor conquistado a pulso, pois prefiro cidades mais pequenas, como Guimarães. Mas pouco a pouco, visita a visita, Braga foi-me desvendando os seus encantos e hoje considero-a uma paragem obrigatória numa viagem a Portugal.

Braga é uma cidade especialmente interessante para quem gosta de arquitectura, por haver imensos edifícios de arquitectura barroca mas também renascentista e neoclássica. Por isso, um simples passeio no centro da cidade transforma-se numa incessante descoberta artística.

Assim, recomendo vivamente uma visita à Catedral de Braga – existem vários bilhetes disponíveis, e recomendo que optem pelo bilhete que vos permite visitar não só a catedral em si mas também o coro alto e as capelas exteriores, que são lindíssimas.

A famosa Rua do Souto é também uma paragem obrigatória por incluir vários pontes de interesse como a Torre de Menagem, com uma interessante exposição no seu interior dedicada, precisamente, à história da cidade de Braga e o Arco da Porta Nova, que tem uma fachada neoclássica e outra barroca. Nessa mesma rua encontrará imensas lojas, por isso é ideal para uma tarde de compras. No final, tome um café n’A Brasileira ou delicie-se com um gelado na Sorbet de L’Amour (são MESMO bons!).

Bem próximos de Braga encontram-se diversos santuários mundialmente conhecidos – o do Bom Jesus the Braga e o do Sameiro. Eu não gosto particularmente de nenhum dos dois: prefiro a humildade do Mosteiro de São Martinho de Tibães, majestoso na sua descrição e completamente fora dos circuitos turísticos.

Quando estiver em Braga: não se esqueça de provar os deliciosos biscoitos conventuais e o bolo romano da confeitaria Frigideiras do Cantinho, fundada em 1796.

Onde ficar em Braga: eu gostei particularmente da Casa do Edro. Para apartamentos sugiro o Cathedral Apartments. Uma boa residencial é a Domus 26 Guesthouse – B&B, e sugiro os albergues Amelia’s House e Collector’s Hostel.

Amarante (1h do Porto)


Eu estou completamente rendida a Amarante, uma das mais bonitas cidades de Portugal. Esta cidade, ali apertada entre a região dos Vinhos Verdes e o Douro Vinhateiro, é uma pérola a incluir na sua viagem a Portugal. Lá encontrará um centro histórico pequeno mas belíssimamente cuidado, uma indústria de vinhos vibrante e a excelente pastelaria portuguesa. O que é que se pode querer mais?!

Em Amarante, recomendo uma visita ao Museu Amadeo de Souza Cardoso, precisamente dedicado ao genial artista português que se perdeu nas linhas da história devido à sua morte precoce. Mesmo ao lado do museu encontra-se a graciosa Igreja de São Gonçalo. A partir daí caminhe na ponte com o mesmo nome, que é deslumbrante.

Se incluir Amarante no seu roteiro em Portugal recomendo que fique alojado no Monverde – Wine Experience Hotel, um dos melhores hotéis de Portugal. Ainda que decida não ficar alojado lá, dê na mesma um saltinho para fazer uma visita e prova dos seus famosos vinhos, enquanto desfruta da visão estonteante das vinhas. A vida não fica muito melhor do que isto!

Quando estiver em Amarante: visite a Confetaria da Ponte e peça um sortido de doces tradicionais portugueses. 

Onde ficar em Amarante: eu já fiquei alojada no Hotel Casa da Calçada e, por diversas ocasiões, no Monverde Wine Experience Hotel. Para apartamentos sugiro o AmaranteLoft. Em termos de hostels, gosto do Des Arts Hostel and Suites.

Ponte de Lima (1h15 do Porto)


Um outro local que deve estar incluído na sua viagem a Portugal é Ponte de Lima, no coração da região dos Vinhos Verdes, sub região da casta Loureiro (a minha preferida). De facto, tecnicamente Ponte de Lima não deveria estar nesta lista de cidades de Portugal porque é a vila mais antiga do país, tendo recusado a ascensão a cidade para não perder o título. Isto é que é orgulho!

O que gosto particularmente em Ponte de Lima é a ligação à natureza que sentimos mal chegamos lá. O centro histórico visita-se rapidamente (recomendo uma visita ao Museu do Brinquedo, é lindíssimo), e depois pode dedicar o resto do tempo a passear à beira rio, ou então dar um saltinho nas lagoas de Bertiandos e de S. Pedro de Arcos. Um outro lugar para os amantes da natureza é a Paisagem Protegida do Corno de Bico, a apenas 30min de viagem. Se preferir guardar as suas energias, visite pelo menos o miradouro de Santo Ovídio, porque a vista é deslumbrante.

Quando estiver em Ponte de Lima: não deixe de provar o Arroz de Sarrabulho no Restaurante Alameda, é uma delícia!

Onde ficar em Ponte de Lima: eu sou completamente rendida à Quinta do Ameal – Wine & Tourism Terroir e à Carmo’s Boutique Hotel, apesar de serem alojamentos bastante caros! Uma boa hospedagem é a Casa das Neves. Em termos de apartamentos sugiro a Casa do Carvalho e o old Village Hostel também não está nada mau.

Fafe (1h do Porto)


Eu já aqui mencionei Fafe como uma das cidades de Portugal ideais para um passeio de Bate e Volta a partir do Porto. Esta cidade deve estar incluída na sua viagem a Portugal não só por ser desviada das principais rotas turísticas mas também por ser uma cidade profundamente talhada pelas mãos dos Brasileiros Torna Viagem, ou seja, dos portugueses que emigraram para o Brasil, fizeram fortuna e decidiram regressar às suas origens. De facto, Fafe sofreu um grande desenvolvimento económico, social e cultural à mão dos Brasileiros Torna Viagem, razão pela qual existe mesmo um interessante museu que lhes é dedicado, o Museu das Emigrações.

Não perca também a oportunidade de assistir a um espectáculo no Cine Teatro de Fafe, uma soberba sala de concertos.

Se estiver de carro aproveite e dê um salto à Aldeia do Pontido, dando uma caminhada de 2h à volta do lago. Vale mesmo a pena.

Onde ficar em Fafe: nesta cidade já fiquei alojada na Casa Cimo de Vila e na Casas do Ermo e gostei bastante!

Douro (1h30/2h do Porto)


A região do Douro é um amor profundíssimo na minha vida. Apesar de ir lá umas 3 ou 4 vezes por semana, em tours privados com leitores do blog, o meu coração não deixa o permanente espanto causado pelas encostas durienses. Dou por mim a passar lá muito do meu tempo livre, porque há sempre novos encantos a prender-me: vinhos formidáveis, pessoais generosas e hospitaleiras, uma paisagem magnífica e uma cozinha farta.

Eu já fiz uma lista bastante completa das melhores vinícolas no Douro bem como de algumas actividades na região para quem não aprecia vinhos. Pode também visitar a cidade de Lamego ou uma das aldeias vinhateiras – Ucanha, com a sua torre, e Tabuaço, com o relógio mais completo do mundo, são as minhas recomendações pessoais.

Quer opte por se juntar a um dos nossos tours privados ou quer decida aventurar-se por conta própria, não deixe de visitar aquela que é considerada, meritoriamente, uma das melhores regiões vínicas do mundo.

Quando estiver no Douro: não perca a oportunidade de visitar a loja de vinhos do meu amigo Sérgio, em Tabuaço. A loja chama-se RUMO e vale mesmo a pena porque o Sérgio é um dos engenheiros agrícolas da Real Companhia Velha e fez uma selecção cuidada dos melhores vinhos da região. Eu vou lá sempre que posso!

Onde ficar no Douro: leia as minhas sugestões dos Melhores hotéis no Douro.

Quintandona (30min do Porto)


Quintandona não é uma das cidades de Portugal mas é um autêntico miminho de aldeia à espera da sua visita. Com as suas ruas impecavelmente conservadas e todos os vestígios de uma antiga aldeia portuguesa, Quintandona é uma viagem ao passado português rural, não tão distante quanto isso mas já bastante apagado na maior parte do território. Por isso, sugiro que a inclua na sua viagem a Portugal!

Em Quintandona passeie-se sem pressas. Descubra o tanque onde as mulheres lavavam as roupas à mão, apreciem os canastros, não se esqueçam do pelourinho e da bonita capela. É tão bom ver o património nacional em tão boas mãos.

Quando estiver em Quintandona: Existe um bar de tapas chamado WineBar Casa da Viúva. Eu não gostei particularmente das tapas (mas eu não sou fã do estilo, confesso!), mas a carta de vinhos é soberba. 

Onde ficar em Quintandona: quando estive nesta aldeia fiquei na Casa Valxisto, e adorei! 🙂

Aveiro (1h do Porto)


Na minha vida anterior (a designação que habitualmente uso para os anos em que estudei e exerci Engenharia Industrial e Gestão), vivi durante uns anos em Aveiro. Esta cidade é chamada de Veneza de Portugal. Não é, confesso, uma cidade da qual gosto particularmente, mas dada a sua popularidade seria injusto não a incluir nesta lista de cidades de Portugal.

A cidade em si vive à volta dos seus famosos canais, onde pode viajar nos barcos Moliceiros, os barcos típicos desta cidade portuguesa. No entanto, o que mais gosto de fazer em Aveiro é descobrir os edifícios de Arte Nova, que têm sempre uma discreta placa dourada, gravada no chão, a assinalar a sua presença.

Pode também dar uma volta no centro histórico, chamado Rossio, e aproveitar para almoçar no Mercado do Peixe.

Perto de Aveiro existem dois museus particularmente relevantes:

  • O Museu Marítimo de Ílhavo, dedicado à finada indústria do bacalhau, que se tornou estratégica durante a ditadura salazarista.
  • O Museu da Vista Alegre, que preserva a memória artística da produção de porcelana da famosa empresa portuguesa.

Quando estiver em Aveiro: não deixe de provar os famosos ovos moles de Aveiro (autênticas bombas calóricas e sem grandes camadas de sabor, não espere ficar fascinado!). Pode também dar um saltinho ao restaurante macrobiótico KI, das minhas amigas Clara & Sara. Mesmo que não goste deste estilo culinário posso garantir-lhe que fazem bolos e sobremesas para todos os paladares.

Onde ficar em Aveiro: Como tenho muitos amigos nesta cidade, fico sempre alojada nas suas casas. Por isso, pedi-lhes ajuda para escrever sugestões de alojamento em Aveiro. B&B: Aveiro Rossio Bed & Breakfast, SolDouro Guesthouse e Casa do Cais. Apartmentos: Aveiro Panoramic. Hostels: Les Canaux, Aveiro Rossio Hostel e o Suites & Hostel Cidade de Aveiro.

Arouca (1h30 do Porto)


Eu só descobri Arouca há uns anos mas fiquei encantada com a proximidade desta vila portuguesa a diversos encantos naturais, razão pela qual deve estar incluída na sua viagem a Portugal.

A uma breve distância do centro histórico existem inúmeras actividades ao ar livre que pode desenvolver:

  1. Percorrer os Passadiços do Paiva, que, tal como o nome indica, são os caminhos de Madeira ao longo do rio Paiva. A caminhada em si não envolve uma grande dificuldade, mas evite os fins de semana porque a sua caminhada pode transformar-se numa autêntica (e bastante desagradável) procissão ao sol). Não se esqueça de levar água, protector solar, uma câmara e um sorriso 🙂
  2. Fotografar a cascata da Frecha da Mizarela, a cascata mais alta de Portugal Continental.
  3. Aventurar-se a fazer rafting no rio Paiva. Eu fiz uma vez com o Clube do Paiva e os meus amigos já estão organizar mais umas descidas para este Verão, apesar de eu já ter frisado que não sei nadar lá muito bem 🙂
  4. Visitar a belíssima (e abandonada) aldeia de Drave.

Quando estiver em Arouca: não deixe de provar as morcelas doces, são de perder a cabeça! 

Onde ficar em Arouca: a meu ver a melhor estadia possível em Arouca é ficar alojado em casas de campo ou numa das quintas típicas da região. As minhas recomendações são a Casa do Casal, Quintãs Farm Houses e a Quinta de Anterronde.


Guarde este artigo para mais tarde:

guia melhores cidades norte portugal

melhores cidades portuguesas

2018-05-14T19:08:56+00:00Maio 9th, 2018|Portugal|0 Comments
Vê os meus tours privados